Um Novo Profissional

Por MNT. Publicado em Carreira

novo profissional de marketingDevido à crise econômica enfrentada no Brasil é possível ver nas redes sociais profissionais, a quantidade de pessoas buscando recolocação. Alguns conversam comigo falando de como estão enfrentando esse momento e como são raros os convites para entrevistas. O importante nesse momento é não criar barreiras, além das mercadológicas. Pense que esse é o momento para repensar sua carreira, reavaliar sua trajetória e descobrir onde você tem acertado e que oportunidades ainda tem de evolução profissional.

Conhecendo os próprios limites é possível superá-los e na correria do dia a dia, fica difícil analisa-los. Os limites da alma impedem o avanço rumo as realizações, já parou para pensar nos seus limites mentais. Quantas vezes eles estão enraizados sem que possamos nos dar conta, mas o estrago que provocam são grandes. A descoberta dos limites que aprisionam e emperram a caminhada é o primeiro passo para as conquistas. Em seguida se faz necessário programar novas convicções, de forma que mesmo as mais adversas situações não nos façam fraquejar.

Sem dúvida ao esboçar essas palavras fico pensando no quão complexo é reprogramar a mente humana. Mas uma coisa eu posso afirmar, quanto mais cedo você começar melhor. A reprogramação significa duvidar e invalidar os pensamentos anteriores de forma a fazer com que eles enfraqueçam e não mais sabotem seus avanços. Até porque alguns foram formados ao longo da sua vida. Alguns até preconceitos passados de geração a geração, de forma que reagimos de maneira automática diante das situações cotidianas.

A possibilidade de reencontrar ou resgatar sua essência é o primeiro passo para redefinir sua carreira. É preciso tempo para desenvolver a capacidade de analisar as situações por múltiplas perspectivas, saindo apenas da análise racional para entrar em aspectos emocionais. Isso permite uma flexibilidade de discussão em todos os níveis e principalmente com diferentes pontos de vista.

Esse tempo fora da rotina de trabalho, é um tempo de transformação. Identifique e aproveite as oportunidades para construir comunidades e engajar mentores. O foco deve ser seu desenvolvimento intrapessoal, interpessoal e cognitivo, ao mesmo tempo que ajuda no desenvolvimento de outros. Faça cursos online grátis, a internet está cheia deles, leia aqueles livros que você comprou e estão pegando poeira na prateleira, participe de palestras, fóruns, etc.

Durante essa transição, internamente revise seus conceitos, valores mais profundos, percepções, razão de ser e crenças. O que te impulsiona e motiva a levantar e enfrentar uma rotina muitas vezes longa de tarefas? São os desafios ou o estilo de vida que você quer ter? Nossos valores pessoais e limites influenciam a trajetória profissional de cada um. Uma vez identificados use-os para planejar um novo recomeço.

Você pode ser um novo profissional quando for chamado para a próxima entrevista, que tal começar a molda-lo nesse instante e quebrar os limites imaginários. Com certeza escolhas mais conscientes, levarão à construção de uma carreira mais gratificante para a pessoa e produtiva para quem o contratar. 

Fonte: www.tecnologiahumana.com

Renata V. Lopes

Profissional com mais de 20 anos na área de Tecnologia da Informação. Graduada em Processamento de Dados, Pós em Gestão Empresarial e Gestão de Pessoas com Coaching.

Comentário (0) Hits: 627

Tecnologia da Informação: Qual profissão seguir?

Por Márcia Santos Almeida. Publicado em Carreira

TI é uma área muito grande, e tem tipo de trabalho para vários gostos.

A profissão mais comum é desenvolvedor ou programador ou engenheiro de software. Tudo faz a mesma coisa, só possuem títulos diferentes. Essas são as pessoas que irão codificar os projetos e para isso você precisa saber alguma linguagem de programação. Dentro desse ramo ainda existem cargos específicos, como por exemplo desenvolvedor frontend, que é responsável por codificar toda a parte que o usuário vê e como linguagem/tecnologia mais comum temos HTML/CSS/JS e frameworks afins. Existe também o desenvolvedor backend, que é responsável por codificar a parte do servidor, ou seja, a parte do programa que o usuário não vê. O frontend se comunica com o backend. E ainda tem o desenvolvedor fullstack, que é responsável por tudo, desde desenvolvimento do frontend/backend, banco de dados, testes automatizados, devops, entre outras tarefas, seria o profissional completo de desenvolvimento pau pra toda obra. Essa é a parte que mais entendo por ser uma desenvolvedora.
Ainda nessa área pode-se focar nos diferentes paradigmas e plataformas: desenvolvedor para dekstop, web, jogos, mobile, etc.

Depois temos a parte de banco de dados, onde você pode estudar pra se tornar um DBA, que vai cuidar toda a parte do banco de dados.

Tem também a área de qualidade, onde você pode se especializar em testes (testar o programa feito pelo frontend ou backend).

Tem também a parte de servidor, onde você se especializa em um determinado produto e faz o gerenciamento do mesmo, como websphere, weblogic, iis, etc.

Tem a área de processos, onde você foca em ajudar a melhorar os processos da empresa.

Tem a área de segurança. Tem a área de infra e redes. Tem internet das coisas. Tem a parte de design e experiência com usuário (UX), onde vc foca em fazer um design para que o usuário tem a melhor experiência possível com o produto.

Tem arquiteto, que tem uma visão geral das tecnologias e diferentes sistemas e como tudo pode ser colocado junto, integrado.

Tudo isso é relacionado ao cursos de ciência da computação, sistema de informação, análise de sistemas, engenharia da computação, infra e redes e outros cursos afins.

Os cursos não são regulamentados, e existe uma discussão bem forte sobre isso, ou digamos 50% dos profissionais são a favor e os outros 50% contra.
Basicamente você não precisa de ter faculdade para trabalhar com TI, mas ajuda bastante ter um diploma.

Basicamente a faculdade vai te dar uma base do que você pode ser. Nenhuma faculdade de nenhuma área te forma um profissional pronto pro mercado de trabalho, somente te fornece a base. Depois cabe a você estudar e se especializar naquilo que desejar trabalhar.

Cursos livres ajudam muito nisso. Trabalhar com TI é estudar pra sempre, então recomendo que se alguém quiser vir pra essa área, que não tenha preguiça de estudar, pois todo mês praticamente surge algo novo, e é importante que esteja atualizada nas tendências.

Eu particularmente amo trabalhar com tecnologia. Trabalho faz 10 anos na área como desenvolvedora e não troco por nada.

Como mencionei acima, existem várias áreas. Recomendaria você dar uma olhada mais a fundo nas outras também pra ver com qual você tem mais afinidade. O que você precisa estudar vai depender de qual área você quer trabalhar.

Mas geralmente profissionais de TI iniciam com a tal da lógica de programação - não útil somente pra profissionais de TI, mas está se tornando obrigatório para qualquer profissional - ajuda muito desenvolver raciocínio lógico de resolução de problemas. Vc pode iniciar somente com lógica ou já tentar aprender alguma linguagem. Existem algumas que tem bastante demanda de mercado, como php, Java e C# ou então HTML/CSS/JavaScript se quiser focar no desenvolvimento web. Recomendo também focar em uma e aprender, é mais valioso saber bem uma tecnologia do que saber pouco de várias.

No youtube vc encontra muito material gratuito e de qualidade. Eu mesma tenho um canal por lá onde compartilho algumas coisas: https://www.youtube.com/user/loianeg

[]'s

Loiane Groner
http://www.loiane.com
http://loiane.training

 

 

*Texto retirado da lista de discussão do MariaLab Hackerspace, gentilmente autorizada a sua publicação pela autora Loiane Groner.

Comentário (0) Hits: 863

Sua imagem vai longe. E você também!

Por Márcia Santos Almeida. Publicado em Carreira

Imagem é tudo!

No mundo de hoje essa frase tornou- se uma máxima, afinal vivemos em uma sociedade que prega o culto ao corpo, a magreza extrema, o uso de artigos de grife... Enfim, muitos fatores relacionados à imagem. Trata-se de um assunto complexo e polêmico, pois certamente se  abrirmos a discussão encontraremos defensores de pontos de vista diversos e aí já viu... Renderiam comentários sem fim em alguma timeline desavisada.

Mas a proposta para esse texto é muito mais simples (o que não significa não ser polêmica). Sendo assim gostaria de explanar sobre a criação e consolidação de uma imagem profissional sobre três aspectos que considero importantes (e imprescindíveis ). São eles:

1 - Formação

É inquestionável a importância de uma boa formação na área de atuação profissional. O mercado de trabalho está cada vez mais exigente. Profissionais com conhecimento em sua área de atuação e com foco em aprendizado contínuo têm muito mais chances de serem assertivos e desenvolver soluções significativas. Se considerarmos o cenário de crise que atravessamos poderemos analisar a importância do "errar menos". Qualificações, certificações, capacitações, leitura, cursos de curta duração, enfim tudo isso gerará conhecimento em sua área e poderá lhe trazer diferencial e credibilidade no que for atuar.

2 -  Experiência profissional

Já presenciei muitas discussões sobre a importância da formação em uma carreira de sucesso embasadas na defesa de grandes gênios autodidatas e em profissionais renomados que detém uma vasta experiência. Ok... Isso existe também! Mas... A genialidade não é pra todos não é mesmo?

A experiência profissional aliada a uma boa formação pode construir uma base muito forte para sua imagem profissional. Todo o conceito adquirido aliado à sua capacidade de colocar em prática para criar soluções e gerar resultados significativos irá minimizar as chances de
tentativa e erro. É claro que o erro acontece, mas nesse cenário ele fará parte também do processo de aprendizagem. A postura autodidata será melhor aproveitada como complemento à formação tradicional que como fonte única de capacitação.

Cabe aqui uma menção aos que estão iniciando uma carreira e relatam a dificuldade em atuar nas áreas de formação (muitos alunos relatam isso pra mim). Para essa questão existe uma linha de atuação voltada para o voluntariado. Existem muitas organizações (normalmente sem fins lucrativos) que fornecem programas onde profissionais iniciantes podem atuar e se profissionalizar através de atividades voluntárias. Mas e a grana, como fica? Procure através de um programa como este aumentar sua rede de contatos, mostre suas competências, disponha-se e logo o resultado financeiro virá. Você precisa começar de algum lugar!

3 - Postura Pessoal

Por último e não menos importante vamos falar da postura pessoal.
Não é raro encontrarmos profissionais que mantém um comportamento ao tratar de assuntos "profissionais" e se tornam totalmente incoerentes quando os assuntos migram para a vida pessoal. O fato é que não se mantém um personagem durante muito tempo (apesar de alguns conseguirem) e quando falamos de imagem profissional, acredite: a forma como você trata o porteiro, o segurança , a tia do cafezinho, o caixa do banco...
Enfim, a sua postura com as pessoas que não lhe trarão nenhum benefício no seu ambiente ou meio profissional dirá muito sobre você. E mais ainda... O que você realmente entrega e seu potencial de finalizar o que começa irá mostrar quem você realmente é.

Além disso, é bom estar sempre atento à forma de lidar com os colegas, ao comportamento no happy hour da "firma", na festinha de fim de ano...

Somos um inteiro e não partes separadas. Como diz o Neurocientista Alex Born "Somos o que os outros veem de nós" , então cuide-se!

Seja autêntico, dedique-se, aprenda e baseie suas atitudes nos pilares do respeito, da generosidade e da humildade.

Assim você vai longe!!

Jaqueline Ferrari é Diretora de Projetos Estratégicos na XBL Consultoria, Especialista em Gestão de Projetos com Certificação PMP, Professora, Consultora e Palestrante.

Comentário (0) Hits: 1331

Profª Mirella Moro cria vídeo sobre a carreira em Tecnologia da Informação

Por Cleiviane. Publicado em Carreira

slide-1-638A Professora da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Mirella Moro, divulgou este vídeo voltado para os alunos e potenciais alunos do projeto Reinventando o Ensino Médio, que é uma iniciativa mantida pela Secretaria de Estado da Educação de Minas Gerais e que tem por finalidade reformular o Ensino Médio, última etapa da Educação Básica, por meio da ordenação curricular e o uso de estratégias didático-pedagógicas inovadoras. 

De forma simples e bastante instrutiva, a professora mostra um pouco sobre o que é informática, computação, finalidade, mercado de trabalho, indicadores de salários, déficit de profissionais, quem pode atuar em TI e sobre o que é o projeto Reinventando o Ensino Médio.

Como começar na carreira de desenvolvedora?

Por Márcia Santos Almeida. Publicado em Carreira

Tenho experiência de 10 anos como Desenvolvedora, e neste caso posso falar com proficiência.

Sou pós-graduação em Gestão de Software, e atualmente minhas atividades estão voltadas para Estratégias em Marketing Digital.

Em minha trajetória de trabalho passei por duas grandes Softwares house do estado de Goiás (PC Sistemas e LG Sistemas), e desta forma, foi possível construir uma carreira e uma boa experiência na área.

Ai vai as minhas dicas:

    - Avaliar apedião para área: você gosta de matemática, cálculo; tem facilidade com racíocionio lógico? Se a área de exatas não é a sua “praia”, então é melhor buscar outra carreira, pois este é o primeiro requisito.

    - Escolha uma boa instuição de ensino superior, e faça uma graduação na área. Um curso técnico também vai te ajudar muito! Mas uma graduação vai te dar uma visão mais ampla da área, e assim não ficará restrito apenas a codificar (digitar linhas de código);

    - Faça um bom curso de Inglês; Saber ler o inglês técnico é fundamental na área de Sistemas de Informação; E se você falar fluentemente o inglês, suas oportunidades no mercado irão se ampliar muito mais;

    - Abrace todas as oportunidades que tiver para ganhar experiência prática, ainda que seja desenvolver um programinha pro comércio da esquina; essas experiências vão te trazer curiosidade, necessidade de aprender, e assim você vai pesquisar, vai estudar, vai tentar, vai errar, vai tentar novamente, e vai enfim aprender algo novo.

    - Procure conhecer as Software House onde pretende trabalhar; procure opinião dos funcionários que trabalham lá; procure saber como está empresa está posicionada no mercado; o que ela realmente faz; E sempre mande curriculos para as melhores empresas; e se aparecer uma ponta como estagiário, vai com tudo, essa pode ser uma excelente oportunidade de crescimento e aprendizagem;

    - Ser especialista: Quando já estiver trabalhando na área, ai então procure obter uma Certificação; pois assim sua Certificação será focada em algo que você já está trabalhando; E a empresa onde você trabalha poderá até patrocinar isso; Muitas empresas apoiam esse tipo de iniciativa;

    - Bom humor: Normalmente o departamento onde trabalham os desenvolvedores de uma Software House é sempre um lugar carregado de tensão; tudo realmente sempre acaba sobrando para o desenvolvedor resolver, isso é uma verdade! Para manter o bom humor seja sempre Positivo, Cordial e Gentil (a fama que todo desenvolvedor é turrão, tem que acabar!), encontre motivos para sorrir sempre que possível, e abrace as pessoas sempre que possível; isso traz boas sensações, e alívio do stress.

    - E por fim, seja persistente! Planejar, projetar ou Codificar uma aplicação exige paciência e dedicação.

Por: Kênia Reis

Comentário (0) Hits: 2675
No tweets found.
  • mamu